Inflamação da célula

Design sem nome (10)

Inflamação da célula – saiba as causas!

O  que acontece com uma cidade quando está sob ataque de um inimigo? A primeira tomada de ação são ordens do prefeito ou governante da cidade. Em seguida, esta série de ordens são disparadas  para combater o inimigo. Policiais, soldados de exército, atiradores profissionais, as forças armadas do país, como exército, marinha e aeronáutica, etc., as mais variadas linhas de defesa serão recrutados e acionados para agir em algum lugar da cidade, variando também a gravidade da situação, tamanho do inimigo, certo?

Pois então, o mesmo ocorre com o corpo humano quando é invadido por algum tipo de agressão. O sistema nervoso central (cérebro) inicia um comando para o  sistema imunológico do corpo. O inimigo pode ser um vírus (por exemplo, COVID 19), bactéria (por exemplo, Bacilo de Koch BK-   tuberculose), substância química, calor, radiação ou trauma mecânico. Esta agressão, chamada de trauma dispara um processo inflamatório. Este processo inflamatório, vai começar no local do ataque, com alterações bioquímicas, metabólicas e vasculares no tecido acometido. Se o ataque for feito por um vírus, como no caso do COVID 19, que conseguiu “entrar” numa célula do pulmão, provavelmente, um exército de células de defesa irão na região dos lobos pulmonares, alvéolos e brônquios pulmonares, levando consigo milhares de células para combater o vírus. Se o ataque for um trauma mecânico crônico (as tendinites, por exemplo, de corrida, no tendão do calcâneo ou calcanhar, ou de trabalhar no computador, forcando os tendões dos dedos , os tendões do punho do carpo),ou um trauma agudo com fratura óssea , também serão deslocados para o local da lesão um batalhão de células de defesa.

De uma maneira simples, vou tentar neste texto explicar o conteúdo de vários módulos de imumologia e hematologia que aprendi nas faculdades de Educação Física, Fisioterapia, especializações em Fisiologia e Fisioterapia Desportiva,  relacionado a processo inflamatório, da lesão ate a cura. Assim, referências bibliográficas diversas foram utilizadas.  Neste tempo de pandemia, causada pelo COVID 19, vale a pena, tentar entender como este vírus assolou o sistema de defesa de todos países do mundo. Importante salientar que o vírus rompe a membrana das células para outros microorganismos entrarem. O COVID19  consegue romper as membranas celulares, facilitando a entrada de bactérias nas células e em cada tecido, a efeito devastador se manifesta diferentemente.

Tudo começa com uma agressão

Quando uma agente lesivo invade o homem, as células de defesa são acionadas. No corpo humano, entende se como células de defesa, as células da serie branca do seu sangue. Quando você realiza um hemograma, o profissional da saúde observa as series vermelha, responsáveis pelo transporte de oxigênio, e a branca, o exercito de defesa.

Logo que se inicia um trauma no tecido, uma serie de células de defesa são chamadas localmente, iniciando o processo inflamatório. Este fase inicial é muito importante e benéfico, pois caracteriza o inicio, o disparo para o processo de cura e defesa. Porem, se o tempo for prolongado, é extremamente danoso ao corpo, impedindo o movimento e função normal do organismo.

Conheça seu corpo, conheça sua célula!

A atuação fisioterapêutica no processo inflamatório é de acelerar a recuperação  e  manter a função do organismo. Objetiva se assim, a reparação mais rápida e com o correto funcionamento do local ou do corpo. A principal questão é saber em  que fase está o processo inflamatório e o que fazer em cada fase.

Sendo assim, alguns dados são relevantes para iniciar um tratamento, pois em cada fase do processo inflamatório, há características básicas, substancias bioquímicas vasodilatadoras importantes aumentam a permeabilidade capilar (vasos sanguíneos, veias e artérias), perdendo plasma (líquido) sanguíneo para o meio intersticial (fora da célula), com consequente coagulação do plasma com proteínas reparadoras da célula, ou ainda, visivelmente, ou macroscopicamente, presença de hematoma, hemorragia com rompimento de vaso ou ainda a não percepção de hemorragia mais interna ou profunda. No caso do COVID 19 , este vírus ao infectar um determinado tecido,(pulmonar, hepático, renal, cardíaco ou nervoso), ele vai causando este tipo de lesão no local infectado. Contudo, o  profissional deve ainda observar, a presença de células de defesa e posterior fases de reparação celular , até atingir a remodelagem celular, caracterizando a fase final da lesão e cura.

O que inflama a célula?

Sequencia de eventos de um trauma tecidual, logo após a lesão primaria estrutural, com eventos bioquímicos e mecânicos:

A) primeiros sinais

B) isolamento

C) marginação

D) diapedese

E) quimiotaxia

F) fagocitose

A) Primeiros sinais após o trauma no tecido.

  1. Ocorre um trauma ou choque direto  que causa a lesão tecidual. Esta lesão pode ocorrer em célula de tecido muscular, de tecido conjuntivo de tendões e ligamentos e células de outros tecidos nervosos endoteliais  de vaso sanguíneo.

  2. Ao romper o vaso sanguíneo neste choque, ocorre hiperemia (cor vermelha no local), hemorragia, extravasamento de sangue (plasma e proteínas )para área lesada formando o hematoma.

  3. Simultaneamente, os vasos que não são rompidos nesta lesão, aumentam a permeabilidade entre as células endoteliais dos vasos. Como o sangue é composto de proteínas, plasma, agua e coloides, soma se ao aumento de permeabilidade das células que formam os vasos, ocorre o famoso edema e tumefação da área lesada. A permeabilidade é mediada por agentes vasodilatadores (histamina, bradicinina, serotonina, prostraglandinas, etc). A histamina é um dos agentes vasodilatadores mais importantes na formação do edema. Em geral, as substancias vasodilatadoras são produzidas uma vez ativado o sistema imunológico do organismo ate a chegada dos produtos do sistema de coagulação sanguíneo ( da serie vermelha) produzidos no final desta etapa. Um dos objetivos da fisioterapia é promover terapia através de exercícios ou cinesioterapia com um dos objetivos de estimulat estes agentes vasodilatadores e assim acelerar a cura.

B) Isolamento

Após os primeiros eventos da lesão, com o objetivo de proteger outros tecidos, ou ainda isolar vasos de infecção para retardar a disseminação de bactérias ou vírus, ocorre o isolamento da área lesada, bloqueados por coágulos de fibrinogênio, diminuindo assim o fluxo sanguíneo. Esse lockdown, num primeiro momento é importante, mas se se prolongar, esse isolamento, isola a área tanto de elementos nocivos, quanto de oxigênio e glicose para reparar as células lesadas, causando uma lesão tecidual secundária. Muitos recursos da fisioterapia e farmacologia são realizados para prevenir a lesão tecidual secundária.

C) Marginação  D) Diapedese E) Quimiotaxia

Pode se traduzir, para uma linguagem informal, a marginação é o deslocamento de células (leucócitos), para a margem dos vasos, diapedese é a saída das células brancas (em geral, os leucócitos) do sangue dos vasos. Quimiotaxia é a atração química de células (neutrófilos e macrófagos) para a área. Essas células são atraídas quimicamente por toxinas bacterianas, produtos degenerativos e produtos de reação de coagulação.

O porquê da importância dos leucócitos

Uma vez atraídos para a área lesada, percebe se um processo seletivo celular somente para a área lesada de leucócitos, entre eles, neutrófilos e monócitos que futuramente se maturam em macrófagos. Vale conhecer os leucócitos, são importantes células do sistema imune, formados na medula óssea (granulócitos e os monócitos e alguns linfócitos) e em parte no tecido linfoide, na linfa e plasma. 

Os monócitos são células imaturas sem a capacidade fagocítica (ingerir ou destruir o agente lesivo), em 8 a 12 horas após o trauma, os monócitos podem intumescer e aumentar ate 5 vezes seu diâmetro original, se maturam em macrófagos com alta qualidade fagocitária, bem maior que os neutrófilos da primeira fase de defesa. Nota pessoal: tropa de choque chegou!

F) Fagocitose

Através da quimiotaxia , os macrófagos chegam na região em 3 linhas de defesa para fagocitar o invasor. Relembrando, fagocitar é ingerir ou destruir o microorganismo.

Atuação dos macrófagos

A tabela abaixo, resume as 3 linhas de defesa dos macrófagos.

1ª. Linha de defesa2ª. Linha de defesa3ª. Linha de defesa
Já estão na circulação sanguínea no momento do trauma tecidualAtuação conjunta com os leucócitos, principalmente os neutrófilos.Atuação mais lenta e mais contínua
São as primeiras células a responderOcorre uma seleção de fagocitose pelos macrófagos e neutrófilos, para não ingerir células normais e saudáveis. Neutrófilos* fagocitam de 5 a 20 bactérias, enquanto que os macrófagos, mais de 100.Aumento gradativo de macrófagos, com reprodução e maturação de macrógfagso já presentes. Nesta fase de defesa crônica há uma resposta maior  de macrófagos que neutrófilos.
Ocorre nas primeiras horasDepois de várias horasDuração de dias a meses
Tabela 1. As 3 linhas de defesa dos macrófagos frente a um trauma.

*os neutrófilos agem na destruição de bactérias. Como em lesões causadas por trauma não há bactérias, os neutrófilos agem como inibidores de cicatrização, chegando à eficiência de 6 a 12 horas e uma vez destruídas, ativam enzimas que podem agredir o tecido. Conclui-se que a resposta inflamatória pode causar danos à estrutura adjacente.

Como reparar minhas células?

Reparação celular, enfim…

As 3 linhas de defesa dos macrófagos resultam em fragmentos inflamatórios são destruídos e removidos dando início a reparação. Este reparo resulta em tecido cicatricial podendo ocorrer uma regeneração limitadora de epiderme, tecido muscular e tecido adoposo. Verifica-se mais uma vez a correta atuação da fisioterapia e outras áreas da saúde, para reparar uma lesão funcional e mais próxima possível da normalidade inicial.

A reparação é didaticamente dividida em 3 fases:

  1. inflamação
  2. proliferação
  3. remodelagem

  1. Inflamação: é uma resposta imediata a lesão, com sinais flogísticos da inflamação,calor, rubor, tumor e dor. A fase aguda é de 24 a 48 horas, a sub-aguda, mais e 10 a 14 horas, pode se prolongar caso exista algum evento de irritação ou que continue a causa do trauma.

  2. Proliferação: formação de tecido de granulação, que é uma estrutura temporária de neo matriz,neo vasculatura, macrófagos e fibroblastos, precede o tecido cicatricial maduro. Ocorre a fibroplasia, formação e produção de fibroblastos, que sáo células do tecido fibroso, onde no local da lesão o novo tecido formado com colágeno tipo III e ácido hialurônico (Tão na moda hoje em dia!!! Comprar ácido hialurônico e colágeno tipo III). Nesta fase, importante saber que naão se pode dar muita carga ao novo tecido devido a sua fragilidade. Uma vez a matriz maturada, ocorre a diminuição de fibrinogênio e ácido hialurônico e aumenta o colágeno tipo I e proteoglicanos. Estes nomes parecem difíceis, mas são proteínas existentes. Também ocorre a angiogênese, com brotamento capilar (vasos),onde células endoteliais migram na direção do estímulo, na forma de cordão de células. A contração da ferida vai surgindo, ocorrendo um movimento centrípeto (para dentro)do tecido e assim reduz o diâmetro da ferida. Inicia logo após a lesão,  o material no interior da ferida pode tracionar para as margens, havendo 2 teorias, uma é a contração da célula e outra é tração celular.

  3. Remodelagem: após essa fase de proliferação, de fibropalsia, angiogênese e contração de ferida inicia se a remodelagem. Estes eventos se superpõem porque as vezes, movimentos antálgicos (fugindo da dor), continuidade do agente de trauma podem mesclar as fases. Assim, ocorre a substituição total do colágeno tipo I para o III, mais resistente e sendo apropriado e necessário proporcionar forças tensionais para o colágeno tipo III se organizar. A matriz gradualmente substituída e remodelada.

Este texto não é substitui de maneira alguma esclarecimentos sobre o sistema imune frente ao trauma. Humildemente, é um resumo de noções básicas. O tecido sanguíneo é uma vasta disciplina que possui todos arsenais de guerra para nossa defesa. Juntamente aos sistema nervoso, comandam nosso organismo para viver na homeostase, ou equilíbrio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.